Da perspectiva financeira e estrutural, principalmente para PMEs, nem sempre é possível manter uma equipe de TI disponível em tempo integral. Pensando nisso, as empresas estão alocando especialistas para desenvolver projetos pontuais, decisão essa que permite reduzir os custos e otimizar o tempo, possibilitando o foco no seu core business. Para auxiliar essas empresas, os service providers, ou provedores de serviços gerenciados, tornaram-se grandes aliados, oferecendo soluções integradas para atender às demandas com serviços adequados ao orçamento disponível e à qualidade exigida para cada projeto.

Nesse post, vamos falar sobre os tipos de trabalho que você, profissional de TI, pode buscar nas MSPs – Managed Service Providers. Confira!

Command Center

Implantação da estrutura remota, com cobertura e controle do ambiente de forma ativa, buscando a redução dos riscos e neutralização dos impactos negativos através de ações preventivas.

Diante das necessidades dos clientes atuais, as service providers geralmente adotam o modelo de Command Center 24×7, com o rodízio dos profissionais que monitoram o centro de comando, para garantir a entrega dos serviços de forma ininterrupta através do gerenciamento de incidentes, problemas, mudanças e base de conhecimento.

Infraestrutura de TI

Uma indisponibilidade na infraestrutura de TI pode significar prejuízo e, como consequência, a falta das informações e serviços necessários para dar continuidade aos negócios de uma empresa.

Muitas vezes, essa é uma questão avaliada quando o problema já aconteceu e, uma vez que as organizações introduzem cada vez mais tecnologias, aumenta a necessidade de profissionais para o gerenciamento proativo de infraestrutura e aplicação, garantindo a sua disponibilidade.

Gerenciamento de Aplicações

A complexidade e a diversificação das tecnologias que as organizações possuem em suas operações, como as aplicações em infraestrutura: VMWare, Microsoft, Red Hat, IBM, Cisco, Dell/EMC e HPE, ou aplicações de negócio: SAP, Oracle, Totvs, Salesforce e Infor, desafiam a performance e geram a necessidade de uma visão completa da experiência de suas aplicações.

Com um gerenciamento integrado entre todas as camadas de infraestrutura, banco de dados e aplicação, essa visão torna-se possível. Nessa área, o profissional de TI poderá atuar em projetos de gestão proativa, disponibilidade, performance, investimentos, telecomunicações, controle de manutenções programadas e não programadas, eventos críticos, entre outros.

Gerenciamento de Processos de Negócio

Nos ambientes de negócios, a busca incessante pela competitividade demanda uma capacidade maior de lidar com a gestão dos processos e indicadores que controlam o desempenho, os chamados KPIs – Key Performance Indicators.

A automação, através de dashboards personalizadas desenvolvidas por profissionais de TI, possibilita que uma empresa gerencie seus indicadores em tempo real, garantindo precisão e rapidez na identificação dos desvios de desempenho.

Gerenciamento de Facilities

A dificuldade do gerenciamento de manutenção pode ocasionar falhas. Gerenciar o Data Center (sala de servidores) onde estão armazenados os dados e sistemas de uma empresa e essencial para garantir que sua operação não seja interrompida.

É importante trabalhar no gerenciamento através de mapas e automatizar o processo de notificações através de alertas, emitidos via SMS e e-mail, com o objetivo de manter as condições necessárias para preservar os equipamentos.

Profissional Services

Por último, mas não menos importante, as empresas também estão buscando profissionais para consultoria, com o objetivo de implantar soluções assertivas de acordo com a complexidade e criticidade de cada demanda.

Mantenha-se atualizado e busque certificações para ganhar destaque e tornar-se um profissional capacitado, conhecedor de metodologias que ajudem a trazer assertividade na escolha das práticas de Governança de TI.